Ações Vs Obrigações

Ações Vs ObrigaçõesSaiba o que são ações e obrigações, as diferenças entre ambos os tipos de investimento. Descubra como funcionam!

No mundo dos investimentos provavelmente já ouviu falar em ações e obrigações. Existem diferentes formas de investir. Tem a oportunidade de investir o seu dinheiro numa empresa ou instituição específica de forma a obter benefícios no futuro. Mas, como funcionam? Qual a diferença entre ambos? Pois, neste artigo vamos tirar tudo a limpo.

Obrigações

Comecemos com as obrigações. A forma mais fácil de definir uma obrigação é através do conceito de empréstimo. Quando investe em obrigações, está basicamente a emprestar o seu dinheiro a uma empresa ou governo que tenha escolhido. Essa instituição, como moeda de troca, vai fornecer-lhe um recibo do seu empréstimo, junto com uma promessa de interesse, como forma de obrigação.

As obrigações são compradas e vendidas num mercado aberto. A flutuação nos seus valores produzem-se dependendo do valor dos interesses da economia em geral. Basicamente, o valor desses interesses afeta diretamente o rendimento do seu investimento. Por exemplo, se tem uma obrigação no valor de 1.000 dólares que paga os interesses a uma taxa anual de 5%, pode vender por um valor mais alto pelo interesse que está por debaixo dos 5%. E se a taxa de interesse sobe para cima de 5% da obrigação, embora possa ser vendida, vende-se geralmente por baixo do seu valor nominal.

A lógica por detrás deste sistema consiste, em que os investidores tratam com uma taxa de interesse mais alta que os pagamentos atuais da obrigação. Assim, a obrigação é vendida por um valor baixo para compensar a diferença. O mercado de OTC, que está formado por empresas da banca e seguros, é o lugar preferido para comercializar com obrigações, porque as obrigações empresariais podem-se incluir na bolsa de valores, e desta forma ser comprado por brokers forex.

Com as obrigações, a diferença das ações, para si, como investidor, não beneficia diretamente com o que acontece na empresa ou dos benefícios da mesma. No seu lugar, receberá uma taxa fixa pelas suas obrigações. Basicamente, quer dizer que se a empresa tiver um ano fantástico ou um ano terrível, não vai afetar o seu investimento. A taxa de cobrança pelas suas obrigações será a mesma. A dita taxa é a percentagem de oferta da obrigação original. Algumas obrigações têm um prazo de validade até  30 anos.

Quando investimento em obrigações, o grande risco no investimento que temos feito é a possibilidade que a quantidade principal de dinheiro investido não seja devolvido. Obviamente, esse risco pode ser controlado através de uma avaliação cuidadosa das empresas ou instituições em que vamos investir.

Aquelas empresas que possuem demasiados créditos em funcionamento são geralmente os investimentos mais seguros quando falamos de obrigações. O melhor exemplo de obrigações seguras são as obrigações do estado ou governo. Outras obrigações são as de empresas chamadas de blue chip. As empresas Blue chip são empresas bem estabelecidas que demonstraram ao longo dos anos a sua solvência. Supostamente, essas empresas têm umas taxas de retorno mais baixas.

Se está à procura de tomar bastantes riscos para obter melhores taxas de retorno, então provavelmente vai acabar por escolher empresas com taxas de crédito baixas, empresas que são instáveis. Tenha em conta que é um grande risco investir em empresas pequenas, contudo, a outra cara da moeda é que os donos das ditas obrigações são preferencialmente credores. Eles têm prioridade perante os acionistas em caso de fecho do negócio.

Para correr poucos riscos invista em empresas já estabelecidas. Se pagarem as taxas concordadas, mesmo que não sejam demasiado altas. Ou, pode tentar investir pouco dinheiro em empresas pequenas, para diversificar o seu investimento. O risco é elevado, mas se pagarem, a sua conta bancária aumentará consideravelmente. Como em qualquer aventura de investimento, os riscos e a possibilidade de recompensa são equivalentes.

Ações

As ações representam participações numa empresa. Essas participações dão-lhe parte da propriedade da empresa. A sua percentagem na empresa é definida pela quantidade de participações que tem em sua posse. As ações vêm em pacotes médios, grandes e pequenos.

Igual às obrigações, pode reduzir os seus riscos ao escolher ações com cuidado, estudando os seus investimentos e confrontando com os riscos de diferentes empresas. Obviamente, uma empresa já estabelecida e que goze de reconhecimento no mercado é muito mais estável que um nova empresa. E as ações refletem a estabilidade das empresas.

O valor das ações, é diferente das obrigações, flutua e são compradas e vendidas no mercado de valores – ou bolsa de valores. Funcionam baseando-se no estado da empresa. Se a empresa vai bem, cresce e consegue benefícios, então isto reflete-se no valor das ações. Se a empresa está mal, a suas ações vão descer de valor.

Existem várias formas de negociar com ações. Além de serem comercializadas como participações de uma empresa, as ações também podem ser comercializadas como opções, que são um tipo de compras e vendas futuras. As ações também podem ser vendidas ou  compradas no mercado de valores diariamente. Devido a isto, investir em ações é mais arriscado que investir em obrigações.

Conclusão

Tanto as ações como as obrigações podem ser investimentos rentáveis. Mas é importante lembrar-se que ambas as opções levam consigo um certo nível de risco. Tome cuidado com esse risco e siga os passos para minimizar e controlá-lo. A chave de um bom investimento é sempre, um bom benefício, uma estratégia sólida e um guia para a sua liberdade financeira.