O que é o Blockchain?

Blockchain explicadoDescubra de uma vez por todas, o que é o blockchain. O blockchain vai muito além do Bitcoin. Leia a melhor e mais completa explicação. Saiba como pode ser usada no dia a dia.

O blockchain pode parecer um pó mágico que as empresas usam, que de repente gera interesse sobre os seus negócios. Mas, não é nada disso. Por isso, está na hora de tirar todas as suas dúvidas sobre o que é o blockchain, como funciona, porque é chamado de blockchain, o que torna o blockchain seguro e os possíveis usos para esta tecnologia que se tornou popular devido às criptomoedas.

Aprenda tudo o que deve saber sobre o blockchain.

O blockchain é uma base de dados pública distribuída que usa a criptografia para garantir que o registo seja praticamente imutável. A ideia foi criada por um programador anónimo, que usa o pseudónimo Satoshi Nakamoto, e é a tecnologia subjacente que torna as transferências de bitcoin sejam possíveis sem a necessidade de instituições financeiras, além do bitcoin. Tudo o que depende de uma base de dados, pode beneficiar do uso da tecnologia blockchain.

O Bitcoin valorizou 2.090% só em 2017. Comprar Bitcoins agora!

Tudo o que deve saber sobre o Blockchain

O blockchain é o futuro, mas antes de entender como negócios e governos podem usar a tecnologia blockchain para várias aplicações, primeira tem que saber exatamente o que é o blockchain. Essa é a razão, porque decidimos separar o artigo desta maneira:

  1. O que é exatamente um bloco?
  2. Como novas entradas são adicionadas à base de dados pública?
  3. Porquê é chamado de blockchain?
  4. Porquê é tão difícil adicionar novos blocos?
  5. Onde é armazenado o blockchain?
  6. Possíveis usos da tecnologia blockchain

Leia atentamente cada uma das cinco coisas que deve ficar a saber sobre esta tecnologia, porque no futuro poderá ser uma das tecnologias que vai estar presente em todo o lado.

1. O que é um bloco?

Um bloco é simplesmente uma coleção de dados. Teoricamente, pode ser qualquer tipo de dado, mas normalmente inclui dados de transações.

Por exemplo, o bloco pode conter dados que dizem coisas como, a parte A quer enviar dinheiro para a parte B, junto com a prova de que a parte A tem esse dinheiro para enviar. Isso é basicamente o que está incluído no blockchain do bitcoiné apenas uma base de dados pública com as transações.

Também pode conter dados mais complexos como um contrato. Por exemplo, b vai enviar para a parte B uma certa quantidade de dinheiro, se e quando ocorrer o X. Essa é a ideia principal por detrás da Ethereum, uma plataforma de criptomoedas construída sobre a tecnologia blockchain, especializada em contratos inteligentes.

2. Como os dados são adicionados ao bloco?

blockchainQuando uma pessoa quer adicionar dados a uma base de dados pública, precisa de provar que está autorizada a adicionar dados ao bloco. Isso é feito através de um sistema chamado public-key encription.

Cada pessoa autorizada tem uma chave privada e uma chave pública. A chave privada deve ser mantida em segredo, de todos os outros, mas a chave pública está disponível para qualquer pessoa com acesso ao blockchain.

Este sistema de criptografia garante que os dados em cada bloco estejam lá, o que é muito importante. Essa é uma responsabilidade tipicamente mantida pelas instituições financeiras ou intermediários de confiança, mas a tecnologia blockchain evita intermediários em favor de uma estrutura descentralizada. Como verá, quaisquer adições ao blockchain são muito difíceis de desfazer, por isso é imperativo que cada transação seja autorizada.

3. Porquê é chamado de blockchain?

Cada bloco no blockchain contém uma referência ao bloco que o precede imediatamente na cadeia. Isso garante que cada bloco seja ordenado cronologicamente.

Os dados de referência são gerados por uma função hash criptográfica, que pega todos os dados no bloco anterior e os mapeia para um resumo – uma string alfanumérica. Se qualquer um dos dados no bloco for alterado, talvez queira adicionar alguns 0s extra a um número, a função hash produzirá um resumo totalmente diferente.

Ao vincular blocos dessa maneira, torna-se praticamente impossível que uma única pessoa altere os dados no blockchain. Isso exigiria que a pessoa não apenas alterasse os dados no bloco, mas também alterasse em todos os blocos que o seguem.

4. Porquê é tão difícil adicionar novos blocos?

Cada bloco também contém informações importantes que permitem que a rede de computadores usando o blockchain verifique a validade do bloco – como uma solução para um problema matemático complexo chamado proof-of-work (prova de trabalho). proof-of-work exige uma grande quantidade de poder de computação para resolver, mas apenas uma quantidade moderada é necessária para verificar uma solução.

Um novo bloco não pode ser alterado para o blockchain, sem resolver a prova de trabalho.

No blockchain de criptomoedas como o Bitcoin e o Ethereum, os computadores da rede são incentivados a produzir prova de trabalho e adicionar blocos à blockchain por meio de uma recompensa. Algumas blockchains dependem inteiramente dos custos de transação para incentivar as pessoas a gastar dinheiro em recursos de computação, como hardware e eletricidade, para operá-lo.

Assim, uma pessoa agindo sozinha precisaria de uma grande parte do poder de computação numa rede, para ter uma chance moderada de adicionar vários blocos a um blockchain consecutivo.

5. Onde é armazenado o blockchain?

Uma característica importante da maioria dos blockchains, é que eles são distribuídos publicamente pela rede. Isso quer dizer que todos os computadores na rede tem uma cópia do blockchain.

Quando um computador na rede resolve a prova de trabalho e adiciona um bloco ao blockchain, esse novo blockchain é imediatamente distribuído para todos os outros computadores da rede. Os outros computadores verificam transações no bloco, bem como a solução de prova de trabalho.

Há casos em que dois computadores resolvem a prova de trabalho e tentam adicionar um bloco ao blockchain ao mesmo tempo. E os blocos que eles adicionam podem não ter os mesmos dados. Alguns computadores obtêm uma cópia da cadeia, enquanto outros obtêm uma cópia diferente.

Nesse caso, cada computador mantém a primeira cópia da cadeia recebida. O próximo computador para resolver uma prova de trabalho irá alterar o novo bloco para a cópia recebida e transmitir essa nova cadeia para o resto da rede, quebrando o empate. A cadeia mais longa é sempre considerada a única blockchain válida.

A regra de que a cadeia mais longa é a única cadeia válida é outra razão pela qual é incrivelmente difícil alterar um registo. Uma pessoa não teria apenas que resolver a prova de trabalho para o bloco que deseja alterar, mas também teria que resolvê-la para o próximo bloco antes que qualquer outro computador na rede a resolvesse.

Como o blockchain é armazenado em todos os computadores da rede, não há um único ponto de falha. Isso adiciona ainda outro nível de segurança ao sistema.

6. Possíveis usos da tecnologia blockchain

Qualquer negócio ou sistema que dependa de uma base de dados poderia beneficiar da tecnologia blockchain para torná-lo mais seguro e acessível.

Possíveis aplicações incluem:

  • Transferências de dinheiro – Satoshi Nakamoto concebeu o blockchain como uma solução para as transações bitcoin. As transações no blockchain são processadas extremamente rápido. Enquanto demora dias a enviar dinheiro usando o Banco, com o bitcoin demora minutos. Outras criptomoedas são mais rápidas que o bitcoin.
  • Contratos inteligente – Contratos inteligentes são pedaços de código de computador que se executam quando determinados critérios são atendidos. Escrever o contrato para o blockchain elimina a necessidade de um intermediário, como uma instituição financeira para fazer cumprir o contrato.
  • Outros serviços financeiros – Contratos inteligentes podem ser usados ​​para transações com qualquer instrumento financeiro. A tecnologia Blockchain poderia revolucionar as bolsas de valores, já que as ações poderiam mudar de mãos em questão de minutos, em vez de levar três dias para serem liquidadas. Na verdade, o NASDAQ Stock Market desenvolveu uma bolsa de valores privados chamada Linq em 2015.
  • Internet das Coisas (IoT) – Há um número crescente de coisas conectadas à internet e todas produzem dados. As aplicações da IoT vão desde portas de garagem que pode controlar com o seu smartphone, até cidades inteiras que têm milhares de dispositivos se comunicando entre si para controlar o tráfego e gerir recursos com eficiência. Usar um blockchain pode fornecer segurança para as cidades inteligentes, para garantir que os semáforos continuem operando adequadamente e a energia permaneça ligada quando você estiver no trabalho.
  • Registos de saúde – Manter registos individuais de saúde no blockchain, daria aos médicos de todo o mundo acesso instantâneo aos registos médicos de uma pessoa.
  • Votações – Com toda a preocupação de que os hackers adulterem o voto electrónico nas eleições presidenciais dos EUA em 2016, a tecnologia blockchain poderia fornecer uma solução. Como uma pessoa deve autorizar dados antes de ser adicionada ao blockchain, seria fácil garantir que cada pessoa votasse apenas uma vez, emitindo chaves privadas para os eleitores qualificados.

Existem dezenas de outras aplicações potenciais para a tecnologia blockchain, e os desenvolvedores provavelmente continuarão a pensar em novas maneiras de usar a idéia original de Satoshi Nakamoto, de contornar as instituições financeiras de maneiras que ele nunca teria imaginado.