7 Conceitos Financeiros Importantes

 Conceitos FinanceirosVocê conhece a definição de alguns conceitos financeiros importantes, como por exemplo, valor esperado, custos irrecuperáveis, alavancagem ou inflação? Encontre a definição no nosso guia de finanças.

Hoje em dia além da habitual formação académica ou profissional, é importante ter conhecimento sobre os conceitos básicos de finanças, pois se você precisar de investir dinheiro no futuro ou quiser colocar as suas poupanças a render juros, só poderá obter o máximo de rentabilidade de souber como funciona e tiver conhecimento dos termos principais. Continue lendo para ter acesso aos 7 conceitos financeiros importantes para si.

Guia de Finanças

  1. Probabilidade – A probabilidade mede o quão provável é que aconteçam várias coisas e expressa essa probabilidade em percentagem. Lançar uma moeda, por exemplo, implica uma probabilidade de 50%, porque é igualmente provável que saia cara ou coroa. Os bancos fazem uso da probabilidade (embora um pouco mais complexa) para determinar a quantidade de clientes que vão pagar os seus créditos e, deste modo, aplicar uma taxa de juro.
  2. Valor estimado – O valor estimado ou esperado é uma das aplicações mais concretas de grande utilidade da probabilidade. Expresso de forma sensível, é uma expressão da probabilidade média a longo prazo de que algo aconteça. Obtém-se multiplicando um resultado pela probabilidade de acontecer. O número que se obtém é o valor esperado dessa ação.
  3. Gestão de risco – Surpreendentemente muita gente tem pouca ou nenhuma percepção da verdadeira gestão de risco. Mencionar os riscos de qualquer atividade implica escutar as respostas fáceis como “tudo implica um risco” ou pode “ter um acidente ao atravessar a estrada”. Sinceramente, trata-se de uma perspetiva ignorante sobre o que é o risco na realidade. Não basta simplesmente assumir que o risco está presente da mesma maneira em todas as coisas, pelo que não vale a pena pensar nisso. Todas as atividades e investimentos implicam diferentes tipos de riscos e probabilidades. A decisão de comprar uma casa, por exemplo, deveria basear-se, em parte, nos valores históricos das casas assim como na probabilidade que subam ou desçam de preço.
  4. Alavancagem – A alavancagem financeira consiste em usar o endividamento para financiar uma operação. Tão simples como isso. Isto é, em vez de realizar uma operação com fundos próprios, irá ser feito com fundos próprios e um crédito. A principal vantagem é que se pode multiplicar a rentabilidade e o principal inconveniente é que a operação não saia bem e acabe sendo insolvente.
  5. Juros compostos – Embora seja óbvio é importante não esquecer. Os juros geram juros. Se você depositar 10.000€ num fundo com uma taxa de juro indexada de 6% e não fizer nada, terá um valor de 57.434,91€ em 30 anos. Isto deve-se porque os juros originários sobre os 10.000€ são juros que geram juros por si mesmo cada ano que passa.
  6. Inflação – Quase de certeza que você já deve ter ouvido vários analistas e espertos a falar sobre as taxas de rentabilidade baixas de 1% ou 2% que nem sequer batem a inflação. Falar sobre a inflação podia dar para muitos artigos, mas vamos manter aqui o assunto mais simples. É importante ter em mente que a economia atual funciona com base inflacionista. Isto é, com 500€ você pode adquirir bens e serviços hoje que dentro de um a dois anos não será possível. Ao tomar decisões de índole financeira é necessário determinar sempre a taxa de rentabilidade real ou ajustada, conforme a inflação. Não ter em conta a inflação é um erro comum de muitas pessoas.
  7. Custo de Oportunidade – O custo de oportunidade diz respeito às opções perdidas. O custo de oportunidade de ir para a universidade, por exemplo, pode ser os lucros que poderia obter com um trabalho se você não estivesse a estudar na universidade. O custo de oportunidade de ir a uma festa seria obter uma menor pontuação nos exames porque você não estudou. Todas as escolhas que se faz na vida, importantes ou não, têm custos implícitos de oportunidade. Nem sempre são assim tão óbvios. Muitos projetos que realizamos por nós mesmos são uma realidade de perda de tempo e dinheiro quando se considera este conceito financeiro.