Engenharia Financeira

Engenharia FinanceiraSaiba o que significa o termo engenharia financeira. Descubra quando é aplicado este termo e a sua definição. Conheça um pouco melhor o mundo do dinheiro e dos negócios.

Para uma definição fiel, é necessário antes fazer referência ao conceito de risco. Engenharia Financeira será, portanto, um conjunto de ferramentas para o controlo e redução do risco por parte das entidades financeiras, assim como as estruturas criadas para isso. Mediante o uso das ferramentas financeiras por um lado, e processos inovadores que dizem respeito a sistemas anteriores, é possível conseguir, não só substituir o risco, também, e a como consequência disso, é possível obter rentabilidade e benefícios excelentes.

Guia sobre Engenharia Financeira

É possível aplicar de diversos modos, dependendo da situação conjuntural da entidade. A situação mais urgente é que se conhece como cobertura. Será necessária a intervenção no caso do fator de risco ser relativamente importante e se pretenda reduzir este. São aplicados processos diametralmente opostos aos que pré-existiam em alguns dos seus âmbitos de investimento ou gestão.

A arbitragem é produzida nesses casos, em que os valores de mercado saem da média, e seja necessário a redução das margens com respeito ao caso anterior. Falamos de especulação quando se realizam movimentos de antecipação a futuras mudanças no panorama económico ou de mercado a modo da prevenção.

Intuitivamente é possível compreender a estruturação como o preço pelo qual se renova a estrutura de qualquer operação ou transição otimizando a sua eficiência. Os instrumentos que servem de engenharia financeira são chamados de derivados financeiros. Um Derivado financeiro ou instrumento derivado, é todo aquele produto cujo valor depende de outro ativo que recebe o nome de subjacente. Neste amplo grupo encontram-se elementos como as ações, taxas de juro, obrigações, divisas e créditos de risco, entre outros. Mas estão divididos em quatro grandes grupos, que são: os contratos forwards, as commodities ou matérias primas, as opções e os swaps ou permutas financeiras.

Daí, é possível resumir, e dizer que a engenharia financeira deve ter as seguintes competências:

  • A empresa de negócios financeiros;
  • O desenvolvimento de projetos financeiros de qualquer âmbito;
  • A aplicação e desenvolvimento de metodologias de controlo de risco;
  • A análise de oportunidades financeiras, projetos e planos relacionados;
  • A realização de consultorias na área financeira;
  • O entendimento e criação de modelos de prognóstico de mercados financeiros;
  • A aplicação da tecnologia e da informação no setor financeiros e empresarial;
  • A valorização de ativos financeiros.

AVISO: Nunca invista dinheiro que necessita imediatamente, porque vai tomar más decisões. Performance passada não é garantia de resultados futuros. O seu capital pode estar em risco.

Como consequência disso, com a aplicação da engenharia financeira e dos seus métodos inovadores, as entidades financeiras reduziram consideravelmente o número de operações, assim como os custos de gestão. Todo isto otimizando os recursos e benefícios, e reduzindo ao mínimo o fator de risco.