SwissLeaks – O que é? Quais os Portugueses envolvidos?

fraude fiscal HSBCInvestigação “SwissLeaks” encontrou vários portugueses. O Banco HSBC Private Bank montou um esquema de fraude fiscal na Suíça. Tudo sobre esta polémica!

A “SwissLeaks” é uma investigação que levada a cabo por um consórcio internacional de jornalistas e foi divulgada no primeiro fim-de-semana de fevereiro 2015 no jornal francês Le Monde, baseando-se em documentos de Hervé Falciani, um informático que trabalhou no Banco HSBC em Genebra, na Suíça.

Esses documentos dão conta que foram movimentados mais de 180 mil milhões de euros usando o esquema fraudulento criado pelo banco britânico, envolvendo 106 mil clientes de 203 países e 20 mil sociedades. Portugal aparece em 45º na lista de países com mais dinheiro envolvido no esquema. Continue lendo para entender melhor esta fraude fiscal e quais são os portugueses envolvidos.

Lista de Portugueses envolvidos no SwissLeaks

Nesta lista de clientes que estão envolvidos no esquema de fraude e evasão fiscal, além de traficantes de armas e diamantes e de terroristas, também existem várias figuras públicas, como os artistas David Bowie e Tina Turner, os desportistas Fernando Alonso e Valentino Rossi, o estilista Valentino, os Reis de Marrocos e da Jordânia, a modelo Elle McPherson, entre outros.

Segundo os dados revelados pelo site angolano Maka Angola, estes são os principais portugueses que aparecem na lista da Swissleaks:

  • Sívia Ruivo Caçador, do distrito de Vila Real, tinha 252,7 milhões de dólares
  • Joaquim António Amaro da Cruz, de Castelo Branco, tinha 223 milhões de dólares em duas contas
  • Rosa Maria Pinho Amaro da Cruz da Silva, de Santos-o-Velho, tinha 185,9 milhões de dólares em duas contas
  • Espírito Santo Activos Financeiros (ESAF) tinha um total de 350 milhões de dólares distribuídos em duas contas, a ESAF SGPS e ESAF Asset Management
  • Américo Amorim, o homem mais rico de Portugal, tinha 5,873 milhões de dólares
  • luso-angolana Elsa Maria Matos Almeida Teixeira, tinha 20 milhões de dólares em duas contas. Uma como angolana e outra como portuguesa.
  • Maria José de Freitas Jakurski, portuguesa com residência no Brasil, tinha 114,8 milhões de dólares

AVISO: Nunca invista dinheiro que necessita imediatamente, porque vai tomar más decisões. Performance passada não é garantia de resultados futuros. O seu capital pode estar em risco.

A existiência de diversas contas bancárias na delegação na Suíça do Banco HSBC permitia alegadamente esconder ativos de clientes e fugir aos impostos nos seus países.

Através da página do Swiss Leaks no site da The International Consortium Of Investigative Journalists (ICIJ), estão disponíveis mais informações sobre este esquema montado pelo Banco HSBC na Suíça.